Integração foi a palavra chave na primeira semana de aula no Ensino Fundamental II. Cada professor escolheu uma dinâmica para alcançar o seu objetivo. Teve o “emboladão” para observar a capacidade de improviso, socialização, dinamismo e liderança. Teve mímica para desenvolver a comunicação. Teve passagem pelo “abismo”para estimular a cooperação. E muito mais…

Dinâmica das regras

Faz com que os alunos percebam a importância das regras para convivência dentro da escola . As regras devem ser pautadas no respeito ao próximo e organização do espaço e atividades. Cada aluno escreveu em uma folha 3 regras e 3 punições para o descumprimento das mesmas. Desta forma, as regras tornam-se significativas para cada um, pois  parte de uma criação que não visa apenas imposições . As regras ficarão expostas em sala para que todos possam relembrar dos combinados.

Emboladão

Proporciona observar a capacidade de improviso e socialização, dinamismo, paciência e liderança dos integrantes do grupo. Os alunos fizeram uma roda e observaram quem estava à sua direita e à sua esquerda. Depois, andaram livremente, olhando fixamente nos olhos dos colegas. Ao comando do professor, se abraçaram no centro do círculo e ficar como estátuas. Após essa etapa, deram as mãos aos colegas que tinham gravado inicialmente e tentaram fazer o melhor para que a roda fique totalmente aberta.

O Lago de Leite

Desperta o prazer do trabalho em conjunto e a importância da ação individual na contribuição com o todo. Os alunos conhecem a história: o rei queria criar um lago de leite. Então, pediu que cada morador levasse um copo de leite para o lago com a cooperação de todos o lago seria preenchido, mas cada morador levou um copo com água, imaginando que não faria diferença. Os alunos tiveram que refletir sobre a ação dos moradores e confeccionar bonecos, escrevendo quais valores e ações devem fazer parte do nosso dia a dia.

Autorreflexão

Desperta a importância do trabalho em grupo e amplia o olhar para ajuda mútua,  atenção nas atitudes e comprometimento. O professor formou duplas e entregou diferentes fábulas. A dupla elaborou a moral das fábulas e depois as apresentou para todo o grupo. Todos os outros se posicionam sobre o assunto e os transpõe para a realidade do dia a dia.

Quem sou eu?

Os alunos escreveram suas principais características em um papel e os outros alunos, a partir disso, tentaram adivinhar quem era o dono do papel, a fim de conhecerem melhor os seus colegas.

Mímica

Desenvolve a comunicação não-verbal e a criatividade de trabalhar a expressão corporal.

Beira do abismo

Utilizando a fita crepe, foram marcadas duas faixas paralelas no chão, representando um “abismo”.  Os alunos ficaram todos do mesmo lado do abismo e eles tinham que atravessá-lo de forma diferente, não podendo repetir o que já foi feito. Conforme foram passando para o outro lado, restaram poucos jeitos de se passar e o intuito era estimular. A partir daí, a ajuda do grupo no sentido de dar sugestões aos que ainda não atravessaram, promovendo uma vivência de estímulo e cooperação.